Fisioterapia no tratamento da fibrose

  • ABC da Abdominoplastia
  • , Beauty tudo
Fran-29

A cirurgia plástica é uma alternativa rápida e eficaz na busca do corpo perfeito, porém no decorrer deste caminho podemos nos deparar com algumas intercorrências como a fibrose, que nada mais é do que uma resposta natural do processo de cicatrização. A fisioterapia dermato-funcional vai te ajudar neste processo.

Para entender melhor, dividimos o processo de cicatrização em três fases: a fase inflamatória, que dura de três a quatro dias, a fase fibroblática e se inicia no quarto dia e se estende até o quadragésimo dia e a fase de remodelamento, que vai do quadragésimo dia até mais ou menos seis meses.

A formação da fibrose se dá durante a segunda fase, que é a fase de reconstrução. Onde o tecido lesionado é reparado e substituído por tecido cicatricial. Os fibroblastos se depositam produzindo fibras longas de colágeno que formam a fibrose.

Cirurgias como a lipoaspiração, a fibrose pode ser mais volumosa, pois grande parte do tecido gorduroso é removido, o processo de cicatrização é mais complexo, ocorrendo aumento do tecido fibroso intersticial, resultando no surgimento de ondulações e depressões na área operada.

O fisioterapeuta dispõe de uma série de recursos terapêuticos para tratar e minimizar o surgimento das fibroses. Algumas delas são:

  • A drenagem linfática manual (DLM) que minimiza o edema, eliminando as toxinas, nutrindo as células, acelerando o processo de cicatrização e favorecendo a eliminação das fibroses.
  • O ultrassom melhora a circulação sanguínea, acelera a cicatrização, previne cicatrizes hipertróficas, desagrega as fibroses persistentes promovendo a extensibilidade das fibras colágenas.
  • A liberação tecidual funcional (LTF) lubrifica o tecido conjuntivo organizando a deposição de colágeno, tornando o tecido mais elástico, minimizando retrações, prevenindo e tratando fibroses e aderências.
  • A Radiofrequência em baixa temperatura é utilizada em uma fase mais avançada do pós operatório, após o surgimento das fibroses. O aumento da temperatura do tecido entre 38° e 39° melhora a elasticidade do tecido cicatricial, trata fibroses e aderências.
  • O Heccus ou Manthus, são aparelhos de ultrassom tripolar de alta frequência associado a micro corrente. Atuam na drenagem linfática, reorganizando as fibras colágenas, na liberação do tecido, prevenindo e tratando fibroses e aderências.

O tratamento fisioterapêutico no pós operatório de cirurgia plástica é fundamental para minimizar o aparecimento de fibroses, aderências e para alcançar o resultado almejado pela cirurgia.

*As opiniões expressas nesta matéria não necessariamente refletem a opinião da Clinica Belvivere. Seu conteúdo é de total responsabilidade do autor.

2

Se gostou dessa postagem, clique no coração!

Colunista

Dra. Franciele Favarin Pescador Cirimbelli
Fisioterapeuta
Possui graduação em Fisioterapia pela UNESC (2006) e aperfeiçoamento em pré e pós operatório de cirurgia plástica, reparadora e vascular.

Siga-me

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Notícias relacionadas

6

min de leitura

5

min de leitura

Agende seu horário

Siga-nos no instagram

Utilize a hashtag #euebelvivere para sua foto aparecer aqui

[insta-gallery id="2"]
Cirurgiões Plásticos em Criciúma

Nos acompanhe no Telegram

Clique aqui para ter acesso ao nosso diário de cirurgia plástica com conteúdos exclusivos

Belvivere no Spotify

Clique aqui e tenha acesso a dicas valiosas sobre cirurgia plástica

Belvivere Cirurgia Plástica em Criciúma. Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por Drift Web

whatsapp-icon